Missão cumprida!

Ser eleito para um cargo público é uma das missões mais honrosas e desafiadoras que um cidadão pode receber. Honrosa porque o eleito passa a representar o sonho de dias melhores para milhões de pessoas. Desafiadora porque na vida pública brasileira há sempre algo por fazer diante da infinidade de problemas, prioridades e desafios a serem superados.

Fui eleito para representar Santa Catarina no Senado em 2010 com 1.588.403 votos. Uma campanha histórica, disputada voto a voto, construída ao lado do meu eterno amigo Luiz Henrique da Silveira. Muitas lembranças inesquecíveis tenho daquela época!

Os primeiros anos do mandato foram bastante difíceis. O governo federal, comandado pelo PT, virou as costas para Santa Catarina e para todos os que a ele faziam oposição. Foram muitas as audiências agendadas para tratar de assuntos de interesse de nosso Estado. Em várias ocasiões elas eram canceladas e, na maioria das outras, mostravam-se improdutivas. Mesmo assim, não me entreguei e segui firme na oposição, combatendo e denunciando os malfeitos do governo petista por vários anos, até o impeachment, em 2016.

Apesar de não ter feito tudo o que desejei, sinto-me com o dever cumprido. Vivi intensamente cada dia do meu mandato trabalhando pelo bem do Brasil e da nossa gente. Não por acaso, consegui em oito anos destinar recursos para todos os 295 municípios de Santa Catarina. Foram mais de R$ 184 milhões apenas em emendas parlamentares, a maior parte para a Saúde e a Educação.

Ao longo do meu mandato, apresentei 92 proposições legislativas, entre Projetos de Lei, Propostas de Emenda à Constituição, Decretos e Projetos de Resolução. Dessas, 3 viraram lei: a Lei da Lactose, a Lei da Mulher e um Projeto de Decreto Legislativo que beneficiou a agroindústria com créditos presumidos do PIS/Pasep. Outros 13 projetos já foram aprovados no Senado e estão tramitando na Câmara dos Deputados e 10 seguem em tramitação em comissões do Senado.

Tenho orgulho de ter recebido a confiança dos catarinenses para exercer o mandato de Senador. Foi uma grande honra representar meu Estado. Estive em todas as regiões catarinenses para ouvir as reivindicações da nossa gente, conhecer seus problemas e apresentar soluções.

Meu gabinete no Senado se tornou uma espécie de representação de Santa Catarina em Brasília. Ao longo de oito anos, a lista de audiências concedidas no Senado soma mais de 50 mil atendimentos. Prefeitos, vereadores, diretores de escolas e hospitais, empresários dos mais diferentes setores da economia, estudantes, líderes religiosos e comunitários, jornalistas, enfim, recebi, sem distinção, representantes dos mais diferentes segmentos da nossa sociedade.

Nesse período também disputei duas eleições, uma para governador e outra de reeleição, sempre respeitando meus adversários e falando a verdade. A decisão dos eleitores catarinenses, que escolheram outros nomes para serem seus representantes no Senado a partir de 2019, não abalou minhas convicções democráticas e tampouco diminuiu meu propósito de torcer pelo Brasil e por Santa Catarina.

A alternância de poder é um dos pilares da democracia, e a vontade do eleitor é soberana. Mesmo sem a vitória, os votos que recebi, mais de um milhão em 2014 e os 800 mil em 2018, me deram o sentimento de que valeu a pena – e sempre valerá – lutar por Santa Catarina.

Agradeço a Deus e aos catarinenses por me permitirem representar Santa Catarina no Senado. Também sou grato à minha família pelo apoio e compreensão. Dedico meu mandato a todos os eleitores que sonham com um Brasil mais feliz, mais justo e com uma Santa Catarina ainda melhor!

Faço um agradecimento ao meu partido, o PSDB, a todos os prefeitos e vices do meu Estado, vereadores, presidentes de diretórios municipais, jornalistas, dirigentes sindicais e de entidades classistas, Deputados Estaduais, Federais e Senadores. Não posso deixar de agradecer também a todos os meus colaboradores do gabinete em Brasília e dos escritórios de Florianópolis e Joinville, por doarem parte de suas vidas a este projeto. Também dedico meu mandato a Luiz Henrique da Silveira, com quem fui eleito em 2010, e a meus suplentes César Souza e Athos de Almeida Lopes, e, por fim, presto minha gratidão aos Senadores Dalírio Beber, Dário Berger e Casildo Maldaner, parceiros nesta longa jornada.

Grande abraço!

Paulo Bauer, Senador da República por Santa Catarina